O “RROD” do Xbox 360 infelizmente aconteceu…

Demorou cerca de 15 meses para a ocorrência do evento, mas, como aconteceu com tantas outras pessoas, o RROD não foi algo inesperado. Meu filho faz muitos cálculos em seu Xbox 360 de 1 teraflop. Nem precisa dizer que a comunidade de jogadores não está muito feliz com os problemas técnicos do Xbox 360. Mais informações sobre a comunidade serão fornecidas em uma futura publicação.

O
nosso console apresentou o problema da luz vermelha no anel situado no
quadrante inferior direito, também conhecido como “Erro de sistema
E74”. A Microsoft ampliou a garantia de 1 ano para 3 anos devido ao
erro RROD, mas o Erro de sistema E74 ainda tem apenas 1 ano de
garantia. Está ficando cada vez mais evidente que as falhas comuns de
hardware estão inter-relacionadas (calor e fissuras nas juntas
soldadas), mas vai entender.

Depois, tivemos que tomar a
grande decisão: embalar o Xbox e enviá-lo para um conserto caro que
demorará 1 mês ou fazê-lo por conta própria? Existem tantas informações
por aí sobre como resolver os problemas que a porcentagem de
ocorrências deveria ser estatisticamente muito mais baixa. Meu filho,
que está prestes a completar 15 anos, está pensando em estudar
engenharia. Assim, optamos por dispensar a garantia que já venceu e ver
o que acontece…

Para tentar consertar a unidade, você precisa desmontá-la toda até chegar à placa-mãe. O
processo inclui abrir o engenhoso estojo plástico moldado por injeção
que não tem parafusos, o estojo metálico que precisa de chaves de fenda
Torx, o circuito impresso (PCB) de controle que aciona o LED do botão liga/desliga (veja a figura acima), a unidade de CD, a câmara de ar, os dissipadores de calor, os dois ventiladores de refrigeração,
o cabo de alimentação da unidade e o cabo de dados da unidade. Depois,
você precisa desparafusar a placa-mãe do estojo metálico para expor a
parte posterior da placa-mãe. É aqui que estão as desagradáveis presilhas em X. É preciso remover as presilhas em X que prendem os dissipadores de calor aos dois ASICs personalizados. Os dois ASICs são bem impressionantes. Uma CPU personalizada baseada no chip PowerPC da IBM com vários núcleos (3) e vários segmentos (2) e uma GPU ATI personalizada. O desempenho no cálculo de polígonos
é de 500 milhões de triângulos/s e de 48 bilhões de operações de
sombreamento/s. Não é de se estranhar que a comunidade HPC esteja programando as GPUs por sua força computacional. 512 MB de RAM GDDR3
de 700 MHz alimentam a GPU. A largura de banda da interface de memória
chega a 22,4 GB/s. Nada mal, mas é aqui que está o problema. O Xbox é
um furioso triturador de números que gera resistência elétrica
e, por conseguinte, calor. A expansão térmica (calor) e a contração
térmica (resfriamento) fazem com que a placa-mãe entorte por ação das
presilhas em X. A repetição desses ciclos provoca fissuras nas juntas soldadas.
Uma conexão ruim em um sinal e o Xbox torra. Essa é uma questão com a
qual os engenheiros de servidores estão lidando há anos. O problema
térmico pode ser resolvido, mas ele pode aumentar, e normalmente
aumenta, o custo do produto. Em minha opinião, o problema do Xbox é que
se trata de um produto fabricado em volume muito grande e é muito
difícil equilibrar o custo adicional com a margem de lucro em um
console de jogo.

Basicamente, o conserto envolve restabelecer o fluxo dos pontos de solda na área da RAM, da CPU e da GPU com uma pistola de calor.
Caso essa operação tenha êxito, você terá que remontar todo o console
de jogo. Mas, antes de fazer isso, é preciso recolocar as presilhas em
X com parafusos métricos para fixar os dissipadores de calor. Você tem
de tomar muito cuidado para limpar totalmente a pasta de solda antiga
dos dois ASICs antes de aplicar a pasta térmica Artic Silver 5
porque, se não fizer isso de maneira correta, os dissipadores de calor
não funcionarão de forma eficiente e rapidamente a unidade ficará
superaquecida.

Conseguimos remontar tudo e ligamos a unidade
por volta das 22h30min, depois de seis horas de trabalho e de duas idas
até a loja de ferragens e à RadioShack. Funcionou! Meu filho ficou feliz em conseguir atingir o nível 65 no Call of Duty 5.

Sugiro
que, se você quiser aumentar a probabilidade de evitar o RROD em seu
Xbox, monte o console na posição de torre (apoiado na extremidade) em
vez de deitado como um laptop. Quando
o console está na posição deitada, a placa-mãe fica na parte inferior
da unidade e isso dificulta a refrigeração. Quando o console é montado lateralmente
(que é uma posição aceita, já que também tem calços na lateral e na
parte inferior), a placa-mãe é refrigerada de maneira mais eficiente.
Será melhor ainda se você puder montar o Xbox sobre quatro pequenos
blocos, de modo que mais ar possa fluir para dentro da unidade, vindo
das entradas na parte superior, na parte inferior e nas laterais.

Foi
divertido mostrar a meu filho alguns aspectos da engenharia colocados
em prática, mas foi ainda mais agradável ter realmente consertado o
console para ele. O aspecto negativo é que, tendo em vista os dados
sobre esses problemas de RROD, sei que em algum momento a unidade irá
falhar novamente…

Advertisements

One thought on “O “RROD” do Xbox 360 infelizmente aconteceu…

  1. Então cara, desculpe invadir assim seu espaço mas li sua materia e putz, é exatamente o que está acontecendo comigo, com um pequeno detalhe, comprei usado, e o cara fez cooler mod, só q o cara era um cavalo e troco os parafusos da presilha em X , e coloco um de fenda. Putz vira e meche meu xbox da pau. Sabe como consigo outra presilha e parafuso amigo?
    Grato

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s